Relembre as seleções mais injustiçadas da história do futebol

By: portalfutebolnews.com.br

Em toda a história do futebol tiveram muitas seleções que apresentaram um ótimo futebol, porém nem todas conseguiram consagrar-se campeãs. Confira abaixo o ranking com as cinco seleções que apresentaram, considerado por muitos, a melhor performance futebolística.

Hungria: 1954

A seleção de futebol da Hungria de 1954 é lembrada como uma das equipes mais talentosas e influentes da história do futebol. Conhecida como “Os Mágicos Magiares”, essa equipe impressionou o mundo com seu estilo de jogo inovador e habilidades excepcionais durante a Copa do Mundo da FIFA de 1954, realizada na Suíça.

Sob o comando do técnico húngaro Gusztáv Sebes, a equipe contava com jogadores notáveis, incluindo: Ferenc Puskás, capitão da equipe e um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos e Sándor Kocsis, prolífico artilheiro que marcou 11 gols na Copa do Mundo de 1954, estabelecendo um recorde que permaneceu por muitos anos.

Durante a Copa do Mundo de 1954, a Hungria dominou seus adversários na fase de grupos, marcando um total de 17 gols em apenas três jogos. Eles avançaram para a final do torneio, onde enfrentaram a Alemanha Ocidental. Apesar de serem considerados favoritos, os húngaros foram surpreendidos pela equipe alemã e acabaram perdendo por 3 a 2, em uma partida histórica conhecida como “O Milagre de Berna”.

Portugal: 1966

A seleção portuguesa de futebol de 1966 participou da Copa do Mundo da FIFA realizada na Inglaterra. Esta foi a primeira participação de Portugal em uma Copa do Mundo. A seleção contava com o melhor jogador da Europa à época, Eusébio, o pantera-negra. O elenco era formado predominantemente por jogadores do Benfica e do Sporting.

Além de Eusébio, outros jogadores do Benfica, considerado o melhor Benfica da história, como Antônio Simões, José Augusto, Mario Coluna e José Torres. Na fase de grupos venceu a Hungria, Bulgária e o Brasil, em um dos maiores jogos da história, à época o atual bicampeão do mundo, com Pelé em campo.

Portugal avançou para as semifinais da Copa do Mundo de 1966, onde enfrentou a Inglaterra. No entanto, Portugal foi derrotado por 2 a 1, com um gol polêmico marcado pela Inglaterra no final do jogo. Na disputa pelo terceiro lugar, Portugal enfrentou a União Soviética e venceu por 2 a 1, garantindo assim o terceiro lugar no torneio.

Holanda: 1974

A seleção da Holanda de 1974 é lembrada como uma das equipes mais icônicas e revolucionárias da história do futebol. Sob o comando do lendário técnico Rinus Michels, e com a filosofia de jogo conhecida como “Futebol Total”, a Holanda cativou o mundo com seu estilo de jogo ofensivo, tático e envolvente durante a Copa do Mundo da FIFA realizada na Alemanha Ocidental.

Conhecida como o ”carrossel holandês” e liderada pelo capitão, Johan Cruyff, considerado um dos maiores jogadores de todos os tempos, a seleção holandesa era composta pelo esplêndido Ajax, vencedor de três Champions League consecutivas. Johan Cruyff, Johan Neeskens, Ruud Krol e Johnny Rep eram alguns dos destaques do elenco.

Durante a Copa do Mundo de 1974, a Holanda impressionou o mundo com sua performance, avançando até a final do torneio. No entanto, na decisão contra a seleção da Alemanha Ocidental, os holandeses foram derrotados por 2 a 1, apesar de terem marcado o primeiro gol da partida.

Brasil: 1982

A seleção brasileira de 1982 é amplamente considerada uma das melhores equipes de futebol da história do Brasil, apesar de não ter conquistado a Copa do Mundo naquele ano. Sob o comando do técnico Telê Santana, a equipe era conhecida por seu estilo de jogo ofensivo e habilidoso, que ficou conhecido como “futebol arte”.

A seleção convocou um exímio meio de campo, com Zico, Sócrates, Falcão e Toninho Cerezo. O ataque não deixava a desejar, com Éder, Serginho Chulapa e Roberto Dinamite. Vale ressaltar, os lendários laterais do Flamengo, Júnior (lateral esquerdo) e Leandro (lateral direito).

Apesar do talento inquestionável e do futebol envolvente apresentado pela seleção brasileira de 1982, eles foram eliminados da Copa do Mundo da FIFA naquele ano nas quartas de final, ao perderem para a Itália por 3 a 2. A derrota (A Tragédia do Sarriá) foi muito sentida no Brasil, pois muitos consideram essa equipe como uma das melhores que já representaram o país. No entanto, o estilo de jogo e a qualidade técnica dessa equipe continuam a ser lembrados e admirados até hoje.

Portando, mesmo não sendo vitoriosas em suas respectivas copas do mundo, as seleções supracitadas no artigo foram mais lembradas pelo seu ótimo futebol apresentado, inclusive mais famosas que muitas seleções campeãs do mundo. Outras seleções como a França, de Michel Platini, também apresentaram ótimo desempenho.