Veja a lista dos goleiros com maior tempo sem sofrer gols

By: portalfutebolnews.com.br

O recorde mundial reconhecido pela FIFA para a maior sequência de minutos sem levar gols por um goleiro em jogos internacionais de futebol masculino é de 1.311 minutos. Esse recorde foi estabelecido pelo goleiro belga Dany Verlinden entre setembro de 1993 e junho de 1994.

No entanto, é importante observar que diferentes organizações e competições podem reconhecer recordes diferentes em suas próprias esferas. Por exemplo, em nível de clubes ou em ligas específicas, existem recordes regionais ou nacionais para sequências de minutos sem sofrer gols. Esses recordes podem variar dependendo da liga, do país e de outros fatores.

Edwin van der Sar – 1311 minutos

Edwin van der Sar, lendário goleiro holandês, estabeleceu vários recordes notáveis ao longo de sua carreira. Van der Sar detém o recorde de mais partidas sem sofrer gols na história da Premier League inglesa.

Durante sua passagem pelo Manchester United, ele alcançou uma série impressionante de jogos sem ser vazado.

Van der Sar detém o recorde de mais jogos consecutivos sem sofrer gols na história da UEFA Champions League. Ele estabeleceu esse recorde durante sua passagem pelo Manchester United.

Van der Sar se aposentou do futebol profissional em 2011, aos 40 anos de idade, após uma carreira de sucesso no Manchester United. Ele detinha o recorde de jogador mais velho a jogar na Premier League até que esse recorde fosse quebrado posteriormente.

Antes de se mudar para o futebol inglês, Van der Sar teve uma carreira de sucesso na Holanda, jogando pelo Ajax e pelo Fulham. Ele detém o recorde de mais jogos disputados na Eredivisie holandesa por um goleiro.

Esses são apenas alguns dos recordes notáveis ​​estabelecidos por Edwin van der Sar ao longo de sua ilustre carreira como goleiro. Sua longevidade, consistência e habilidade o tornaram uma lenda do futebol.

Gainete – 1394 minutos

Gainete começou sua carreira como ponta-direita juvenil pelo Guarani, de Florianópolis, no estado de Santa Catarina, em 1955. No entanto, sua trajetória tomou um rumo diferente quando ele assumiu a posição de goleiro e ingressou profissionalmente no Paula Ramos em 1958. Rapidamente, ele se destacou, conquistando o título catarinense em sua primeira temporada no clube, em 1959.

Na década de 1960, Gainete mudou-se para o Guarani de Bagé e, posteriormente, em 1962, transferiu-se para o Internacional. Ele permaneceu no clube até 1964, quando foi emprestado ao Vasco da Gama. Sua estreia pelo Vasco ocorreu em 14 de março durante o Torneio Rio-São Paulo, e ele teve uma participação importante na conquista da Taça Guanabara.

Em 1966, Gainete retornou ao Internacional, onde jogou até 1972, tendo sido fundamental para o time. Em 1970, ele estabeleceu um recorde nacional ao ficar 1.394 minutos sem sofrer gol, entre 31 de maio e 20 de setembro. Durante seu tempo no Internacional, ele contribuiu para a conquista do tricampeonato gaúcho.

Entre 1972 e 1974, Gainete defendeu as cores do Atlético Paranaense, antes de retornar ao Rio Grande do Sul em agosto de 1974, para disputar o Campeonato Gaúcho pelo Atlético de Carazinho.

Neneca – 1636 minutos

Em 1974, o Náutico entrou para o Guinness Book quando conquistou o título pernambucano, e o goleiro Neneca estabeleceu o recorde mundial de invencibilidade no futebol. Durante esse período, o camisa 1 ficou incríveis 1.636 minutos sem sofrer um gol sequer pelo Alvirrubro.

Essa impressionante marca foi alcançada ao longo de 18 partidas oficiais, todas pelo campeonato estadual, marcando o “luxo” do hexa, com a vitória na final sobre o então pentacampeão Santa Cruz. O recorde teve início em 22 de agosto, na vitória por 4 x 1 sobre o América, e só foi encerrado em 2 de novembro, no empate em 1 x 1 com o Santa.

Embora essa conquista tenha sido notável, o recorde foi superado apenas uma vez, em 1978. Mazaropi, do Vasco, iniciou uma série ainda no ano anterior e ficou 1.800 minutos sem ser vazado, considerando as partidas pelo Brasileirão e pelo Carioca.

Marazópi – 1816 minutos

Em 1977, na penúltima partida do turno, Mazaropi iniciou uma série de 20 partidas sem sofrer gols, uma marca que só seria superada no ano seguinte.

Em 1979, Emerson Leão foi contratado pelo Vasco e emprestado ao Coritiba por 300 mil cruzeiros. No Coritiba, ele sagrou-se Campeão Paranaense, atuando em 42 jogos, e alcançou o terceiro lugar na classificação geral do Brasileirão, sendo eliminado nas semifinais pelo Vasco.

Em seguida, Leão retornou ao Vasco e contribuiu para a conquista do título carioca de 1982.

Em 1983, ele foi emprestado ao Grêmio, onde teve um período de grande sucesso. Pelo clube, conquistou a Copa Libertadores da América e a Copa Intercontinental, ambas naquele ano.

Mazaropi retornou novamente ao Vasco em 1984, mas logo depois acertou sua transferência para o Clube Náutico Capibaribe, onde também foi campeão pernambucano.

Ele voltou ao Grêmio, onde conquistou diversos títulos estaduais e a Copa do Brasil de 1989.

Em 1990, Mazaropi retornou ao Coritiba, onde jogou apenas quatro partidas pelo Brasileiro da 2ª Divisão, sofrendo quatro derrotas consecutivas, o que levou tanto ele quanto o técnico Luis Felipe Scolari a pedirem a rescisão de seus contratos.

Seu último clube foi o Sport Club Guarany de Cruz Alta (RS).