As maiores finais da Copa Libertadores da América

By: portalfutebolnews.com.br

A Copa Libertadores da América é uma das competições de clubes mais prestigiadas do futebol sul-americano e conta com finais emocionantes ao longo de sua história. Aqui estão algumas das finais mais notáveis:

1971

A final da Copa Libertadores de 1971 foi disputada entre Nacional, do Uruguai, e Estudiantes, da Argentina. Esta final ficou conhecida como uma das mais controversas e violentas da história do torneio.

O primeiro jogo da final foi realizado em 21 de julho de 1971, no Estádio Centenário, em Montevidéu, Uruguai. O Nacional venceu por 1 a 0, com gol de Julio Montero Castillo. No entanto, o jogo foi marcado por intensas brigas e violência em campo, o que levou a uma grande polêmica.

O segundo jogo, em 28 de julho de 1971, no Estádio La Bombonera, em Buenos Aires, Argentina, terminou empatado em 0 a 0. Novamente, o jogo foi marcado por muita violência e tensão entre os jogadores.

Após os dois jogos, o placar agregado ficou em 1 a 0 a favor do Nacional, que se sagrou campeão da Copa Libertadores de 1971. No entanto, devido aos incidentes violentos durante os jogos, a final ficou marcada por uma atmosfera conturbada e manchada pela violência em campo.

1960

A primeira final da Copa Libertadores da América, em 1960, foi disputada em uma série melhor de três jogos entre Peñarol, do Uruguai, e Olimpia, do Paraguai. A Copa Libertadores de 1960 foi a inaugural do torneio, portanto, essa final marcou o início desta competição continental tão prestigiada.

O primeiro jogo foi disputado em 2 de agosto de 1960, em Assunção, Paraguai, com uma vitória do Olimpia por 2 a 1. O segundo jogo ocorreu em 11 de agosto de 1960, em Montevidéu, Uruguai, onde o Peñarol venceu por 1 a 0.

Com uma vitória para cada equipe, a decisão foi para um terceiro jogo de desempate. Este jogo foi realizado em 14 de agosto de 1960, novamente em Montevidéu. O Peñarol venceu o Olimpia por 2 a 1 e se tornou o primeiro campeão da Copa Libertadores da América.

Essa final marcou o início de uma longa história de grandes confrontos e rivalidades na Copa Libertadores, estabelecendo a competição como uma das mais importantes do futebol sul-americano.

2018

A final da Copa Libertadores da América de 2018 foi uma das mais emocionantes e controversas da história do torneio. O confronto foi disputado entre os arquirrivais argentinos River Plate e Boca Juniors.

O primeiro jogo da final estava originalmente programado para acontecer no dia 11 de novembro de 2018, no Estádio Monumental, em Buenos Aires, Argentina. No entanto, devido a incidentes de violência que ocorreram fora do estádio, o jogo foi adiado para o dia seguinte e, posteriormente, transferido para o Estádio Santiago Bernabéu, em Madri, Espanha.

O jogo de ida, em 11 de novembro, terminou em empate em 2 a 2. Já o jogo de volta, em 9 de dezembro, também no Santiago Bernabéu, terminou em vitória do River Plate por 3 a 1, com gols de Lucas Pratto, Juan Fernando Quintero e Gonzalo Martínez. Dessa forma, o River Plate conquistou o título da Copa Libertadores de 2018, com um placar agregado de 5 a 3.

Essa final foi marcada por muita polêmica e emoção, desde os incidentes que levaram ao adiamento do primeiro jogo até a intensa disputa em campo. O título foi especialmente significativo para o River Plate, que conquistou sua quarta Copa Libertadores e consolidou sua posição como um dos principais clubes da América do Sul.

1962


A final da Copa Libertadores da América de 1962 foi disputada entre Santos, do Brasil, e Peñarol, do Uruguai. O Santos, liderado por Pelé, estava em busca de seu segundo título consecutivo na competição, enquanto o Peñarol buscava sua primeira conquista na Libertadores.

O primeiro jogo da final foi disputado em 5 de maio de 1962, em Montevidéu, Uruguai. O Peñarol venceu por 2 a 1, com gols de Spencer e Joya para o Peñarol e Pelé descontando para o Santos.

O segundo jogo ocorreu em 9 de maio de 1962, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, Brasil. O Santos venceu por 3 a 0, com gols de Pelé, Coutinho e Mengálvio.

Como cada equipe venceu um jogo, foi necessário um terceiro jogo de desempate. Este jogo foi disputado em 13 de maio de 1962, novamente no Maracanã. O Santos venceu por 3 a 0, com gols de Coutinho, Pelé e Pepe, conquistando assim o título da Copa Libertadores de 1962.

Essa final ficou marcada como uma das mais emocionantes da história da competição, com uma série de jogos disputados e um desempenho impressionante do Santos, especialmente de Pelé, que foi fundamental para a conquista do título.

2006

A final da Copa Libertadores da América de 2006 foi disputada entre São Paulo, do Brasil, e Internacional, também do Brasil. Foi uma final emocionante entre dois grandes clubes brasileiros.

O primeiro jogo da final ocorreu em 16 de agosto de 2006, no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. O Internacional venceu por 2 a 1, com gols de Fernandão e Alexandre Pato para o Internacional, e Lugano descontando para o São Paulo.

O segundo jogo foi disputado em 23 de agosto de 2006, no Estádio do Morumbi, em São Paulo. O São Paulo venceu por 2 a 1, com gols de Mineiro e Aloísio para o São Paulo, e Fernandão marcando novamente para o Internacional.

Como cada equipe venceu um jogo, a decisão foi para a disputa por pênaltis. O São Paulo venceu por 4 a 2 nas penalidades, conquistando assim o título da Copa Libertadores de 2006.

Essa final ficou marcada como uma das mais emocionantes e disputadas da história da Copa Libertadores, com um confronto equilibrado entre dois gigantes do futebol brasileiro. O título foi o terceiro da história do São Paulo na competição.

1966

A final da Copa Libertadores da América de 1966 foi disputada entre o Peñarol, do Uruguai, e o River Plate, da Argentina. A final foi composta por três jogos.

O primeiro jogo ocorreu em 22 de maio de 1966, no Estádio Centenário, em Montevidéu, Uruguai. O Peñarol venceu por 2 a 0, com gols de Rocha e Spencer.

O segundo jogo foi disputado em 29 de maio de 1966, no Estádio Monumental, em Buenos Aires, Argentina. O River Plate venceu por 3 a 2, com gols de Matosas, Onega e Artime para o River Plate, e Spencer e Rocha marcando para o Peñarol.

Com cada equipe vencendo um jogo, um terceiro jogo de desempate foi necessário. Este jogo ocorreu em 12 de junho de 1966, novamente no Estádio Monumental, em Buenos Aires. O Peñarol venceu por 4 a 2, conquistando assim o título da Copa Libertadores de 1966.

Esta final ficou marcada como uma das mais emocionantes e disputadas da história da Copa Libertadores, com um confronto equilibrado entre dois grandes clubes do futebol sul-americano.

1981

A final da Copa Libertadores da América de 1981 foi disputada entre o Flamengo, do Brasil, e o Cobreloa, do Chile.

O primeiro jogo da final ocorreu em 23 de setembro de 1981, no Estádio Nacional de Santiago, no Chile. O Flamengo venceu por 2 a 1, com gols de Lico e Nunes para o Flamengo, e Eladio Rojas descontando para o Cobreloa.

O segundo jogo foi disputado em 30 de setembro de 1981, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, Brasil. O Flamengo venceu novamente, desta vez por 2 a 0, com gols de Zico e Nunes.

Com esses resultados, o Flamengo se consagrou campeão da Copa Libertadores de 1981. Essa conquista marcou um dos momentos mais importantes da história do clube, sendo o primeiro título da Libertadores conquistado pelo Flamengo.

Essa final foi marcada pelo talento de jogadores como Zico e Nunes, que foram fundamentais para o sucesso do Flamengo na competição. A conquista da Libertadores de 1981 abriu caminho para o Flamengo conquistar também o Mundial Interclubes daquele mesmo ano, em uma campanha histórica para o clube.

1983

A final da Copa Libertadores da América de 1983 foi disputada entre Grêmio, do Brasil, e Peñarol, do Uruguai.

O primeiro jogo da final ocorreu em 21 de setembro de 1983, no Estádio Centenário, em Montevidéu, Uruguai. O Grêmio venceu por 2 a 1, com gols de César e Renato Portaluppi para o Grêmio, e Fernando Morena descontando para o Peñarol.

O segundo jogo foi disputado em 28 de setembro de 1983, no Estádio Olímpico, em Porto Alegre, Brasil. O Peñarol venceu por 1 a 0, com gol de Eduardo Pereira.

Com esses resultados, o Grêmio se consagrou campeão da Copa Libertadores de 1983. Essa conquista marcou um momento histórico para o clube, sendo o primeiro título da Libertadores conquistado pelo Grêmio.

Essa final foi marcada pela grande atuação de jogadores como Renato Portaluppi, que marcou um dos gols na partida de ida, e toda a equipe do Grêmio, que demonstrou determinação e garra ao longo da competição. A conquista da Libertadores de 1983 foi um marco na história do clube e um momento de grande orgulho para os torcedores gremistas.